No duelo entre Apple e Face, o que importa são os seus dados I AO PONTO

No fim de abril, a Apple lançou mais uma das habituais atualizações do sistema operacional chamado IOS. Como de costume, essa atualização trouxe ajustes e novos recursos para os usuários dos smartphones da marca, que são utilizados por mais de um bilhão de pessoas ao redor do mundo. Só que dessa vez, a gigante da tecnologia incorporou uma nova ferramenta que dá ao cliente a opção de permitir ou não o rastreamento de suas informações por aplicativos instalados no aparelho, como idade, localização, dados de saúde e hábitos de consumo. Outras gigantes do ramo da tecnologia, em especial o Facebook, se opuseram à ação da empresa fundada por Steve Jobs. Isso porque são essas as informações usadas para a venda de propaganda direcionada, que chega ao seu computador com base em suas preferências pessoais, o que aumenta a rentabilidade da rede social. O Facebook alega que o interesse dos anunciantes na internet despenca quando não é possível direcionar uma propaganda a determinados perfis de usuários. No Ao Ponto desta quinta-feira, o repórter de Economia André Machado fala sobre o uso de dados pessoais na internet, o perigo do compartilhamento dessas informações para o usuário e de que forma as grandes empresas do setor podem ser afetadas – e como reagem – diante da pressão da Apple.

Spotify (https://spoti.fi/2LWcVDG)
iTunes (https://apple.co/2LUj2IJ)

ASSINE O GLOBO: http://assineoglobo.globo.com/
INSCREVA-SE NO CANAL: http://bit.ly/2BQvqB4

O SITE: https://www.oglobo.globo.com
O FACEBOOK: https://www.facebook.com/jornaloglobo
O TWITTER: https://twitter.com/jornaloglobo

You May Also Like